rioecultura rioecultura
Facebook Twitter Pinterest Picasa Instagram
EXPOSIÇÕES EVENTOS LOCAIS CULTURAIS COLUNISTAS ARTIGOS MATÉRIAS NOTÍCIAS INSTITUCIONAL COLABORADORES CONTATO
TRANSLATE THIS WEBSITE
EXPOSIÇÃO
voltar para a página anterior
Cartazes da Guerra - 1936 - 1939
rioecultura : EXPO Cartazes da Guerra - 1936 - 1939 : Museu Histórico Nacional (MHN)
ABERTURA:
4 de junho de 2009
ENCERRAMENTO:
2 de agosto de 2009
LOCAL:
Museu Histórico Nacional (MHN)
Praça Marechal Âncora, s/n
Centro
(21) 2550-9221
FUNCIONAMENTO:
De 3ª a 6ª feira, das 10h às 17h
Sábado, domingo e feriado, das 14h às 18h
INGRESSO:
exposições permanentes do museu:
R$10 [inteira]
R$5 [meia] para estudantes e maiores de 60 anos

Entrada franca aos domingos e para menores de 5 anos, funcionários do IPHAN, alunos e professores das escolas públicas do governo, maiores de 65 anos, guias de turismo e estudantes de museologia.

Em caso de exposições temporárias, consultar o valor do ingresso por exposição.
Atenção: os horários e a programação podem ser alterados pelo local sem aviso prévio. Por isso, é recomendável confirmar as informações por telefone antes de sair.
compartilhe  |  Comente |  Ler comentários   voltar para a página anterior  subir
 
Após passar pela França, Itália, Alemanha e Suécia, chegam ao Brasil 95 cartazes do conturbado período da guerra civil espanhola, que proporcionam a oportunidade de uma reflexão sobre o confronto armado, considerado um dos mais sangrentos do século XX, além de importante prévia da Segunda Guerra Mundial.

Testemunhos das mensagens e idéias republicanas e socialistas, os cartazes representam algumas das tendências artísticas mais importantes daqueles anos, como, por exemplo, o construtivismo russo. O material reflete o drama histórico e os sentimentos humanos envolvidos durante o avanço fascista das tropas de Franco na Espanha que desencadeou uma das ditaduras mais brutais da Europa, responsável pela morte de artistas como o poeta Federico Garcia Lorca, mas também por obras primas, como a Guernica, de Picasso.

Considerados um meio de comunicação eficaz, definidos inclusive como "um grito na parede", os cartazes abordam temas essencialmente políticos, como a obrigatoriedade do alistamento militar e a cautela excessiva com potenciais inimigos. Serviam também de advertência diante dos abusos em situações de guerra e foram igualmente utilizados em campanhas de saúde, higiene e educação. Com a Segunda Guerra Mundial, o cartelismo passou a ser uma mídia fundamental de propaganda em diversos países, tendo envolvido um autêntico exército de artistas gráficos, desenhistas e pintores e alcançado elevados níveis de qualidade e valor estético.

Os cartazes expostos no MHN integram uma preciosa coleção de dois mil itens, formada ao longo dos anos pela Fundação espanhola Pablo Iglesias, e foram minuciosamente selecionados para propiciarem um panorama da variedade dos temas em voga, dos artistas e das tendências artísticas abordadas pelos cartazes da época da guerra civil espanhola.



Entre os artistas incluídos, há desenhos de espanhóis renomados - como Bardasano, Huertas, Melendreras, Ballester, Espert, Monleón, Renau, Cristino Mayo, Briones, Oliver, Garay -, junto a obras anônimas, mas de indiscutível qualidade artística.

Desde sua aparição no século XIX, o movimento artístico que ficou conhecido como “Cartelismo” (arte do cartaz) converteu-se rapidamente num meio privilegiado para transmitir todos os tipos de ideias e informações à sociedade dos países europeus. Sua produção foi particularmente importante na Espanha dos anos 30 do século passado durante o período da república e, especialmente, nos anos da guerra civil espanhola.

Partidos políticos, sindicatos e diferentes entidades públicas perceberam a eficácia do instrumento para expor seus pontos de vista e comunicar seus ideais ao povo de maneira rápida e eficaz. Além de evidente ferramenta de propaganda política que durante algum tempo diminuiu para os críticos o valor artístico deste vasto material, estudiosos do tema reconhecem hoje a qualidade deste material, que refletiu as mais diversas tendências estéticas das vanguardas que floresceram naquele período.

Não por acaso, os cartazes são assinados por pintores, desenhistas e artistas gráficos que tiveram na guerra a motivação necessária para criar e que chamaram a atenção de personalidades relevantes como o escritor britânico George Orwell e o correspondente de guerra soviético llya Ehrenburg.

Críticos de arte são quase unânimes na afirmação de que a arte atrelada a causas políticas geralmente recai em manifestações já consolidadas e tradicionais, enquanto as vanguardas buscam justamente se estabelecer na mão oposta ao poder vigente. A explicação desta exceção histórica justifica-se na liberdade dos artistas envolvidos no repúdio republicano ao avanço fascista europeu e na contundência destas mensagens, além da apurada técnica na produção dos cartazes.
compartilhe  |  Comente |  Ler comentários   voltar para a página anterior  subir
 
Relação de Exposições Temporárias
Relação de Exposições de Longa Duração

EXPOSIÇÕES Encerradas

Desde outubro de 2008 várias exposições passaram pelo Rio&Cultura. Você pode conferir a lista de exposições que saíram de cartaz, mas permanecem registradas.
EXPOSIÇÕES
Busca
[por Nome de Exposição]
[por Data de Encerramento]
[por Local]
[por Bairro]
Divulgue

Seu nome:
Comentário:


Seja o primeiro a comentar!
Escreva ao lado sua opinião.

Dados do(a) amigo(a):
Nome:
E-mail:
Mensagem para o(a) amigo(a):
Seus dados:
Seu nome:
Seu e-mail:
ATENÇÃO
Antes de efetuar o convite, verifique se todos os campos estão preenchidos corretamente.


Dados do(a) amigo(a):
Nome:
E-mail:
Mensagem para o(a) amigo(a):
Seus dados:
Seu nome:
Seu e-mail:
ATENÇÃO
Antes de efetuar a indicação, verifique se todos os campos estão preenchidos corretamente.

  voltarsubir
© Copyright 2008-2013 Rio&Cultura
SIMETRIA Arte e Comunicação desenvolve este site

Clicky Web Analytics
Rio&Cultura