locais culturais
Museu Casa do Pontal - Arte Popular Brasileira (MCP)
rioecultura : Museu Casa do Pontal - Arte Popular Brasileira (MCP)
Compartilhar
Museu Casa do Pontal - Arte Popular Brasileira (MCP)
Classificação: Museu
Endereço: Estrada do Pontal, 3295
Recreio dos Bandeirantes - Rio de Janeiro / RJ
CEP 22785-560
Telefone: (21) 2490-3278/ (21) 2490-4013
website: museu casa do pontal
Funcionamento:
Terça a domingo, de 9h30 às 17h. Abrindo inclusive nos feriados que caem nesses dias.
* A entrada só será autorizada até 15 minutos antes do fechamento.

PROIBIDO FOTOGRAFAR
Ingresso: EXPOSIÇÃO PERMANENTE
Adultos – R$ 12,00
Estudantes brasileiros – R$ 6,00
Idosos Brasileiros – R$ 6,00
Idosos Estrangeiros – R$ 12,00
Crianças até 6 anos – grátis
A compra do seu ingresso pode ser feita no local ou pelo site: http://www.ingressocomdesconto.com.br.
Visitas teatralizadas para escolas públicas e particulares, projetos sociais e visitas musicadas, entre em contato
Atenção: os horários e a programação podem ser alterados pelo local sem aviso prévio. Por isso, é recomendável confirmar as informações antes de sair.
CONHEÇA MAIS

A Casa do Pontal está instalada em um fabuloso sítio de 12 mil metros quadrados. Através das exposições, o Museu retrata a história do povo brasileiro com fidelidade, humor e poesia. Possui uma das mais bonitas coleções de arte popular brasileira. Seu acervo foi reunido durante 40 anos pelo designer francês Jacques van de Beuque e tem mais de 8 mil obras de mais de 200 artistas brasileiros.

Tem como missão trabalhar pela memória, reconhecimento e valorização da arte popular brasileira, por meio de atividades de pesquisa, preservação e divulgação ampla do acervo, o mais representativo deste gênero de arte no país.

UM POUCO SOBRE A HISTÓRIA
O Museu Casa do Pontal é considerado o mais significativo museu de arte popular do país. Seu acervo é resultado de 40 anos de pesquisas e viagens por todo o país, do designer francês Jacques Van de Beuque. É composto por cerca de 8.000 peças de 200 artistas brasileiros, abrangendo toda a produção da segunda metade do século XX.O Museu Casa do Pontal, situa-se em um sítio de 1.200 metros quadrados, no Recreio dos Bandeirantes, próximo à Barra da Tijuca, entre o maciço da Pedra Branca e a Prainha. Seus amplos jardins foram projetados para promover uma perfeita integração entre a vegetação, as galerias do museu e a reserva ecológica.Tombado em 1989 pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Artístico e Cultural do Rio de Janeiro, o museu foi reconhecido por ter uma melhor iniciativa no país em prol da preservação histórica e artística de bens móveis e imóveis, recebendo em 1996, o prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade, concedido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.Recebeu também o prêmio D. Sebastião de Cultura 2000, outorgado pela Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro. Em 2002, o Programa Educacional da instituição recebeu o prêmio Amigos das Escolas da Secretaria Municipal de Educação e da RioTur.Em novembro de 2005, o trabalho do Museu Casa do Pontal foi reconhecido com a Medalha da Ordem do Mérito Cultural, principal comenda de caráter nacional que é oferecida pelo Governo Federal e o Ministério da Cultura a pessoas e instituições cujas contribuições para a cultura são relevantes. Em 2006, a diretora do museu, Angela Mascelani, recebeu a Medalha Tiradentes da Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro por sua atuação à frente do Museu Casa do Pontal. Segundo membros do Internacional Council of Museums (ICOM), associado à UNESCO, A Casa do Pontal não é apenas um museu completo de Arte Popular Brasileiro, mas pode ser considerada como um verdadeiro museu antropológico, único no país a permitir uma visão abrangente da vida e da cultura do homem brasileiro.

UM POUCO SOBRE O ACERVO
Resultado de 50 anos de pesquisa e viagens feitas pelo designer e colecionador francês Jacques Van de Beuque. No final de 1940, o designer e colecionador iniciou suas pesquisas, possibilitando a constituição de uma expressiva coleção de arte popular composta por cerca de 8.000 peças de 200 artistas brasileiros.


- NENHUMA EXPOSIÇÃO EM CARTAZ

- NÃO HÁ AGENDA DE EVENTOS

EXPOSIÇÃO EM MEMÓRIA
[o que passou por aqui e não está mais em cartaz]
Máquinas Poéticas - Abraham Palatnik e os artistas populares Adalton Lopes, Laurentino, Nhô Caboclo e Saúba
Arte do barro e o olhar da arte [Vitalino e Verger]
Seio do Mar, Panorama da Baía de Guanabara
Afluências - A arte do Vale do Jequitinhonha