rioecultura rioecultura
Facebook Twitter Pinterest Picasa Instagram
EXPOSIÇÕES EVENTOS LOCAIS CULTURAIS COLUNISTAS ARTIGOS MATÉRIAS NOTÍCIAS INSTITUCIONAL COLABORADORES CONTATO
TRANSLATE THIS WEBSITE
EXPOSIÇÃO
voltar para a página anterior
Jaildo Marinho – Cristalização
rioecultura : EXPO Jaildo Marinho – Cristalização : Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM RJ)
ABERTURA:
27 de maio de 2017
ENCERRAMENTO:
2 de julho de 2017
LOCAL:
Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM RJ)
Av. Infante Dom Henrique, 85
Aterro do Flamengo
(21) 2240 4944
FUNCIONAMENTO:
De 3ª a 6ª feira, das 12h às 18h
Sábado, domingo e feriados, das 12h às 19h
A bilheteria fecha 30 min antes do término do horário de visitação.
INGRESSO:
R$14 [inteira]
R$7 [meia]
Entrada gratuita [Amigos do MAM e crianças até 12 anos]
Todas as quartas-feiras a partir das 15h: entrada gratuita
Domingos ingresso família, para até 5 pessoas: R$14
Atenção: os horários e a programação podem ser alterados pelo local sem aviso prévio. Por isso, é recomendável confirmar as informações por telefone antes de sair.
compartilhe  |  Comente |  Ler comentários   voltar para a página anterior  subir
 
Com curadoria do crítico de arte francês Jacques Leenhardt, a exposição reúne 19 obras, entre pinturas, esculturas e a instalação que dá nome à mostra – com 27 metros quadrados – , do artista pernambucano nascido em 1970 e radicado há 24 anos em Paris. A mostra será acompanhada de um livro-catálogo bilíngue (português-francês), com textos do crítico francês Jacques Leenhardt e do curador do MAM, Fernando Cocchiarale, editado pela Pinakotheke Cultural, realizadora da exposição em parceria com o MAM.

Jaildo Marinho utiliza mármore de Carrara em suas esculturas e na instalação “Cristalização”, com pintura em tinta acrílica. Leenhardt – diretor da Escola de Altos Estudos em Ciências Sociais, em Paris, e estudioso do Brasil desde 1980 – explica que a exposição se dá em torno desta instalação, “um ambiente impregnado pelas cores da ametista”. “Essa peça é construída em redor de um vácuo, a condição, em geologia, para que o tempo infinito dos processos minerais venha a formar cristais que, ao se desenvolverem livremente, acabam constituindo um geodo”, diz. “Essa estrutura central é o emblema da exposição inteira, que funciona em seu conjunto à maneira de uma estrutura cristalina, reproduzindo na escala do Museu o longo processo através do qual se elabora o mundo mineral, mediante reduplicações e simetria”.

O tempo efêmero da existência humana, em oposição ao da formação mineral, é uma das questões presentes na exposição. “Jaildo Marinho situa-se resolutamente na linha construtivista, oriunda de Malevich (1878-1935) e Mondrian (1872-1944), que se alforriou do mundo concreto com a vontade de se tornar a matriz de uma linguagem universal, sem relação com o mundo material do cotidiano tão constantemente representado na pintura da Antiguidade”, afirma Jacques Leenhardt. O crítico destaca que se deve considerar a exposição “como o resultado de uma dupla reflexão a partir de uma releitura da tradição inaugurada pela obra de Mondrian – desenvolvida por Jesús Soto (1923-2005), de um lado, e, do outro, estabelecida solidamente na linhagem do concretismo e, em seguida, do neoconcretismo brasileiro, que vai de Flávio de Carvalho até Hélio Oiticica, passando por Waldemar Cordeiro e muitos outros”.

Fernando Cocchiarale observa que é possível pensar nas “Cristalizações” de Jaildo como “uma repactuação pessoal e híbrida entre a sintaxe geométrica (legada pelas vanguardas da primeira metade do século XX) e a tradição pré-construtivista da escultura”. “As cinco esculturas agora mostradas – “Palette Rio-rouge”, “Rio-jaune”, “Rio-bleu”, “Rio-rose” e “Brazil rose-zen” – sugerem a síntese entre a racionalidade construtiva da forma geométrica e os métodos de produção clássicos da escultura greco-romano-renascentista.

rioecultura EXPO Jaildo Marinho – Cristalizacao

SOBRE O ARTISTA

Nascido em 1970 na cidade pernambucana de Santa Maria da Boa Vista, Jaildo Marinho está radicado em Paris desde 1993. Começou a estudar escultura e tratamento de pedras em 1982 e, entre 1991 e 1993, cursou Escultura na Universidade Federal de Pernambuco, quando se transferiu para Paris, e começou a atuar como escultor e pintor. Ganhou a medalha de ouro no Festival de Mahares, na Tunísia, em 1995, e o prêmio de escultura da Bienal de Malta, em 1999, ano em que começou a lecionar no ateliê de escultura e fundição que coordena para a prefeitura de Paris. Integra o movimento Madi Internacional, fundado em Buenos Aires, em 1946, pelo uruguaio Carmelo Arden Quin. Realiza exposições individuais no Museu de Arte Contemporânea de Pernambuco, em 2002; no Centro Cultural Franco-Brasileiro, Paris, em 2003; na Casa do Brasil, Madri, em 2004; no espaço Cultural Marcantônio Villaça, Brasilia, em 2007; na Galeria Manuel Bandeira da Academia Brasileira de Letras, Rio de Janeiro, em 2008; na Academia de Ciências de Hungarian em Gÿor, Hungria em 2010; na Maison de l'Amerique Latine, Paris. Participa de numerosas exposições coletivas no Brasil e em cidades da Europa, Ásia, Estados Unidos e América Latina. Em 2009 recebe o título de cidadão francês. Possui obras no Satoru Sato Museum, em Tome, Japão; no Museo de Arte Latinoamericano de Buenos Aires (Malba), Argentina; Museu de Arte Contemporânea Francisco Narvaez, Porlamar, Venezuela; Hungarian Academy of Sciences, Gÿor, Hungria; Espace Jean Legendre, Compiègne, França; Museu MADI Sobral, em Sobral, Ceará; Fundação Joaquim Nabuco, em Recife; Espaço Cultural Marcantonio Vilaça, Brasília; e Museu Coripos, em Santa Maria da Boa Vista, Pernambuco.
compartilhe  |  Comente |  Ler comentários   voltar para a página anterior  subir
 
Relação de Exposições Temporárias
Relação de Exposições de Longa Duração

EXPOSIÇÕES Encerradas

Desde outubro de 2008 várias exposições passaram pelo Rio&Cultura. Você pode conferir a lista de exposições que saíram de cartaz, mas permanecem registradas.
EXPOSIÇÕES
Busca
[por Nome de Exposição]
[por Data de Encerramento]
[por Local]
[por Bairro]
Divulgue

Seu nome:
Comentário:


Seja o primeiro a comentar!
Escreva ao lado sua opinião.

Dados do(a) amigo(a):
Nome:
E-mail:
Mensagem para o(a) amigo(a):
Seus dados:
Seu nome:
Seu e-mail:
ATENÇÃO
Antes de efetuar o convite, verifique se todos os campos estão preenchidos corretamente.


Dados do(a) amigo(a):
Nome:
E-mail:
Mensagem para o(a) amigo(a):
Seus dados:
Seu nome:
Seu e-mail:
ATENÇÃO
Antes de efetuar a indicação, verifique se todos os campos estão preenchidos corretamente.

  voltarsubir
© Copyright 2008-2013 Rio&Cultura
SIMETRIA Arte e Comunicação desenvolve este site

Clicky Web Analytics
Rio&Cultura